A área de inovação da PetroRio promoveu na última quinta-feira (4) um grande encontro para falar sobre os projetos em andamento na empresa. Foram apresentados o Projeto Multicultural, uma parceria com a Coppead e a Universidade de San Diego, que trouxe estudantes estrangeiros para estágios na PetroRio; o Futuro de Manati, que gera ideias para gerar valor do capo após 2021; Vida Longa a Polvo, sobre a extensão da vida útil e otimização dos Risers de Polvo; Como usar energia renovável para diminuir o consumo de diesel e; o uso de Inteligência Artificial para predição de falhas e otimização de produção do campo de Polvo.

Para Carolina Hoffmann responsável pela área, o destaque é a criação de novas ações e práticas que estão sendo efetivamente adotadas pela empresa. “As coisas que saem dos workshops começam a gerar frutos na prática”, diz.

Paulo Valadares, da manutenção, ressalta que os workshops de inovação ajudam a pensar além das soluções já conhecidas para questões técnicas e operacionais. “Às vezes ideias que inicialmente parecem impossíveis do ponto de vista técnico podem se tornar realidade se vistas por uma nova perspectiva”, afirma.

Em 2018, a inovação da PetroRio realizou projetos multiáreas, partindo de um laboratório de ideias e formando squads de inovação, com pessoas de diferentes equipes. Em 2019, o foco serão os desafios internos de cada área, criando projetos e soluções específicas. Hackathons, ideathons serão cada vez mais utilizados para gerar novas soluções aplicadas. A partir de 2019, a PetroRio também deve se envolver cada vez mais com o ecossistema de startups. No futuro, está prevista a criação de Centros de Pesquisa na empresa.

Em sua palestra, Helio Mosquim, Head de Inovação Global da Vale, mostrou com a empresa incorporou a inovação em sua estrutura. Segundo ele, mais do que falar de novas tecnologias, a Vale descobriu que é necessário conectar os projetos com os desafios estratégicos da empresa. Caso contrário, corre-se o risco de chegar a ideias que não agregam real valor ao negócio. “É necessário casar o modelo de negócio, a tecnologia e o modelo mental das pessoas”, afirma. Hoje, a Vale tem mais de 100 projetos em andamento e previsão de 300 implementações até 2020, especialmente nas áreas de segurança e produtividade.

 

Fonte: PetroRio

Top