A PetroRio, em parceria com os alunos da COPPEAD – escola de negócios do Rio de Janeiro – e da Universidade de San Diego (EUA), elaborou um benchmarking sobre a experiência da abertura do mercado de gás natural no âmbito internacional.

Na análise, foi constatado que, embora o Brasil esteja atrasado em relação aos países da Europa, é possível criar uma estratégia efetiva para expandir esse mercado. O estudo servirá como referência para o atual cenário brasileiro, com insumos relevantes para todas as empresas do setor.

Ao longo de uma semana, os estudantes estiveram imersos na PetroRio, que forneceu toda a infraestrutura necessária para realização do trabalho. Durante o período, os alunos envolvidos elaboraram um relatório macroeconômico e regulatório das oportunidades de trade de gás natural, que gerou soluções possíveis para o Brasil a médio e longo prazo. Ações como desinvestimento da Petrobras e entrada de novos operadores de sistema independente foram apontadas como iniciativas para a livre concorrência e aumento da competitividade.

O Reino Unido, por exemplo, demonstrou sucesso na estratégia de abertura de mercado, com implantação de regras comuns a todos os operadores atuantes, o que poderia ser replicado nos estados do Brasil. Segundo o estudo, esta saída garante mais concorrência, redução de preço e aumento da produção, resultados que beneficiam o consumidor final.

O acesso às infraestruturas de gás (dutos, terminais e outros) também foi um tema discutido. A conclusão é que existem duas possibilidades: negociado ou regulado. Iniciativas, como o programa Gás para Crescer, lançado pelo Ministério de Minas e Energia, ajudam no aprimoramento legal e regulatório, adequando à nova conjuntura do setor e envolvendo todos os agentes no debate.

“Estamos bastante satisfeitos com o trabalho realizado pelos alunos. O projeto beneficiará não só a PetroRio, como todas as empresas interessadas no segmento de gás natural para prover novas soluções e impulsionar a abertura e competição deste mercado”, contou Nelson Queiroz Tanure, CEO da PetroRio.

A companhia disponibilizará o estudo completo em breve.

Fonte: PetroRio

Top